Início / Entrevistas / Entrevista: Anderson Cardoso – Locutor da Radio Mix e do canal Esporte Interativo

Entrevista: Anderson Cardoso – Locutor da Radio Mix e do canal Esporte Interativo

Durante uma atividade supervisionada da matéria de Fundamentos do Jornalismo, da professora Jacqueline Sobral, pude visitar a Rádio Mix, para entrevistar o locutor Anderson Cardoso, que também trabalha como narrador do canal Esporte Interativo.

Anderson contou que sempre foi um amante do futebol, mas desistiu do sonho de ser um jogador aos 15 anos. A partir desta idade, passou a ter interesse em trabalhar no rádio: “Sempre ouvi musica alta, gostava de festa, e fazer barulho. Sempre que eu brincava com a galera, as pessoas diziam que minha voz parecia com o da rádio, e ai fui imaginando e me aventurando“, disse.

Até chegar na Rádio Mix e no Esporte interativo, Anderson Cardoso teve que se dedicar e lutar para conquistar seus objetivos. Nos trechos abaixo, o locutor conta com detalhes o seu caminho. Confira:

Interesse pelo rádio

Gostava muito de ouvir rádio. Mesmo sabendo nada a fundo, já brincava com a voz, ficava imitando o que o locutor falava. Até que um dia, abriu um curso de locução na Radio Universidade FM, que era da Estácio, na época sintonizada na 107,9. Com isso, me despertou interesse e a motivação para ter uma boa performance e quem sabe ser aproveitado.

Sobre o curso

Gostei, devia ter uns 18 anos. Fui aprimorando e pude conhecer um pouquinho mais de rádio. Eu fazia o curso e depois olhava os estúdios para ver como funcionava. Com isso fui gostando cada vez mais.

Primeira experiência

Estava procurando algo que eu aproveitasse a minha voz. Comecei a procurar onde tinha um microfone ou um alto-falante para me desenvolver. Achei um trabalho de locutor em um supermercado mas fiquei apenas um mês. Aproveitei meu período de férias na faculdade para ganhar experiência.

No Rádio:

Perto da minha casa começaram a surgir rádios comunitárias, então decidir trabalhar de graça. Fiz isso para aprimorar meus conhecimentos e ganhar mais experiência. Neste tempo as coisas foram acontecendo, até que surgiu um teste na Tropical FM, que foi a primeira grande rádio que eu trabalhei. Depois disso surgiu uma oportunidade na Jovem Pan, e daí em diante fui agarrando minhas chances, até chegar aqui na Rádio Mix.

Avanço tecnológico no rádio:

A tecnologia do rádio mudou muita coisa. Quando eu comecei nós usávamos cartuchos e discos de vinil. A vinheta era um cartucho que você prendia, e ao apertar o botão uma vez o som saia. Hoje o computador faz tudo isso, podendo até programar para executar as funções automaticamente. Mas a graça ainda é fazer ao vivo, para garantir o entretenimento e a dinâmica.

Interação com ouvintes:

Depende muito da produção e do estilo de programa que esta sendo apresentado. Eu trabalho com três fatores nas minhas programações: A locução, a programação musical e a programação promocional. Tudo isso agrega ao nosso estilo de rádio, que é a Mix. 

Experiência na televisão:

Eu já pensava em fazer narração de futebol em TV, mas precisava de experiência, então optei pelo rádio que é mais dinâmico. Por intermédio de amigos do meio, consegui mostrar meu material de narração e agradei por ser uma vez sem vícios e nova no ramo. Atualmente estou trabalhando na TV para o Esporte Interativo.

Diferença do rádio para a televisão:

Na narração de futebol no rádio, o locutor que constroi o ambiente, por isso comecei no rádio, a pressão é mais forte e o esporte fica mais dinamico. Todos os sentidos você trabalha muito forte, observando a movimentação do jogador, falando rápido, improvisando e com o ouvido bom também pra ter a referência com a produção da rádio. Esse tipo de experiência que eu peguei para trabalhar na TV e ir amaciando. Na TV você tem o auxilio da imagem, não precisa ta falando o tempo todo. Você vai observando o ambiente com a mesma técnica, onde você usa o improviso e passa o espetáculo que esta sendo visto. Peguei a observação do radio e passei para tv, mas ainda estou aprendendo muita coisa.

Sobre Lucas

Carioca, 20 anos, estudante de jornalismo e apaixonado por esportes.